jusbrasil.com.br
8 de Maio de 2021

O último a sair. #PartiuMiami

Tem mais rico brasileiro se mudando pra Miami do que turista japonês tirando foto da Mona Lisa no Louvre

Gustavo Maia, Advogado
Publicado por Gustavo Maia
há 6 anos

Desde os longínquos anos oitenta do século passado, quando perigava do Lula ganhar as eleições presidenciais, a direita brasileira ameaça deixar o país. Segundo apregoava o então presidente da Fiesp, Mario Amato, em caso de uma vitória petista, 800 mil empresários picariam a mula: "O último a sair, por favor, apague a luz do aeroporto", teria dito.

Neste segundo mandato de Dilma Rousseff, o projeto da diá$pora voltou com tudo. Pelo que leio e ouço por aí, tem mais rico brasileiro se mudando pra Miami, hoje, do que turista japonês tirando foto da Mona Lisa no Louvre.

Acho curioso. Se alguém deveria estar contente com o estado das coisas, é a direita. Os índices de aprovação da presidente são os mais baixos da história, o Congresso quer rever o Estatuto do Desarmamento e diminuir a maioridade penal, já disse que não vai tocar no tema do aborto e tenta retroceder nas conquistas LGBT, Bolsonaro & Feliciano fazem mais sucesso do que Chitãozinho & Xororó e a PM que desce o sarrafo em professores e mata criança com tiro de fuzil é aplaudida em passeatas "ordeiras" e "pacíficas". Se eu fosse de direita, não estaria pensando em fugir pra Miami, mas em construir uma Disney lá pros lados de Barueri.

Quem tem motivo para se arrastar por aí chutando tampinha e rosnando pra lua somos nós, companheiros, que colamos o adesivo "oPTei" em nossos Chevettes, lá por 1987, nós que cantamos o "Lula Lá" como se fosse um "Abre-te, Sésamo!" para Shangri-La, achando que o PT iria levar pão, poesia, matemática e tomografia para cada brasileiro. Que tristeza: apostamos num partido fundado por Sérgio Buarque de Holanda e Chico Mendes para fazer "dessa vergonha, uma nação", como cantou Caetano Veloso, e, hoje, nossa expectativa mais otimista são alguns quilômetros de ciclovia.

É preciso reagir, meus caros. É preciso tirar da direita as rédeas da história. É preciso dar um passo à frente e dizer: péra lá, não são vocês que vão embora, com seus jacarezinhos no peito e Rolex no pulso, somos nós, com nossas pochetes na cintura e barbas por fazer! Chega de tentar tirar o gigante adormecido do seu berço esplêndido. (Aliás, um gigante de 500 anos que ainda dorme em berço, já era para termos nos tocado, tem algum problema bem sério). Chega de querer construir um país do zero: nos mudemos, de mala e cuia, para um que já esteja pronto.

Para onde vamos? Pra Miami? Evidente que não. Vamos para outra cidade onde a língua também é o espanhol, mas num país cujo governo é -verdadeiramente- de esquerda, a maconha é liberada, o vinho é de primeira, a carne é estupenda e o maior defeito, ao que parece, é fazer fronteira com o Brasil. Estou falando, claro, do Uruguai.

Se o Haddad perseverar e o MP parar de encher o saco, talvez consigamos ir de bicicleta até o porto de Santos, de onde seguiremos, em comboio, de pedalinho, rumo ao Éden cisplatino. Às margens do Prata, fundaremos a nova Colônia Cecília, requereremos nacionalidade uruguaia, e, ao recebê-la, sob o radioso sol de nossa alviceleste bandeira, brindaremos com tannat, simultaneamente, duas tão sonhadas conquistas: um país justo e a Copa de 50.

O último a sair, por favor, acenda o baseado.

fonte: http://www1.folha.uol.com.br/

35 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Perdoe-me, mas este texto não faz o menor sentido, por fim, ainda faz uma apologia às drogas.
Defender determinados ideais não é "retroceder direitos" de ninguém.
Que mania absurda de dividir o povo em classes e fazer parecer que uma é boa, a outra é ruim (bem versus mal). Não se esqueça: um país precisa de ricos e de pobres; do empregado, mas também do empregador...
Faz-se uma enorme confusão entre direita e esquerda, ricos e pobres, chama-se de direita unicamente o conservadorismo (como se esta representasse a direita em sua totalidade).
Aliás, uma das grandes características da vertente conservadora de direita é justamente o senso nacionalista, então a ligação entre esta evasão para outros países e a direita conservadora não tem ligação nenhuma.
Faço ao autor um encarecido pedido: antes de escreveres sobre, utilizes o tempo que usas fumando maconha para estudares sobre política. Será muito mais proveitoso e não esquecerás de premissas básicas acerca do assunto.
E quem dera estivesse infeliz somente uma vertente política: hoje, choram pobres, choram ricos, chora a classe média. O Brasil está aos prantos com este governo. continuar lendo

"...um país precisa de ricos e de pobres...". Parei de ler aí. continuar lendo

Reagir? Roberto Campos estava certo. Para a esquerda, o fracasso é um sucesso mal-explicado. Olhem em volta. Isso é o resultado de seu programa, ao longo de 12 anos. Infelizmente, nós, o povo, somos obrigados a arcar com o prejuízo abissal que a esquerda provocou ao país. Pessoas estão saindo? Claro. A economia está decrépita. O estado de direito está morto e enterrado. A administração está quebrada em todos os seus âmbitos, e se recusa a fazer o que tem de ser feito.

Aproveitem a deixa e sumam do meu país. Levem seus delírios políticos, suas utopias ruinosas, seu credo fanático, para bem longe deste solo. Vão para o Uruguai! Isso, para o Uruguai, já que nem mais conseguem acreditar em Cuba. Nos livrem de sua presença, levem seus ideólogos e intelectuais (todos, preferencialmente), fundem sua Colônia Cecília ou seja lá que raios for, bem longe daqui. continuar lendo

Já faz é tempo que o PT deixou de empunhar as bandeiras de "esquerda", sendo considerado ortodoxo frente aos economistas. Assim que Lula afirmou que continuaria seguindo os passos de FHC quanto a dívida pública e outrem, houve o que o Giambiagi denominou de "romper com a ruptura".
vide: http://home.ufam.edu.br/andersonlfc/Economia_Brasileira_Contemporanea/Cap8-Gambiagi.pdf continuar lendo

E adivinhe quem está pagando a conta. O pior é que perderam a vergonha junto com o limite. continuar lendo

12 anos dos companheiros no poder & ainda assim a culpa não é de ninguém, mas se for de alguém com certeza não é deles, pobres coitados sempre chantagiados e controlados.
Argumento típico de gente FRACA. continuar lendo

Como é Bom ler o outro lado de vez enquando. continuar lendo